Feno Podre

Os fenos estão hoje, dia 18, já apodrecidos. Quem os cortou perdeu todo o adubo, o tempo de os cortar e enrolar. Quem enfardou e não recolheu de imediato, perdeu mais.

Se para as vacas é mau, que terão comida de má qualidade (excepto quem guardou antes), para as abelhas há a chance de um verão com algum néctar no campo. Apesar de ser péssimo no presente, pois a chuva é fria e estão a comer o pouco mel que haviam feito. Estamos com práticamente as mesmas alças de março e mais nenhumas entrarão.

O que acontecerá às colmeias?

É simples de ver…com 4 dias fechadas em casa a desbloquear ninhos de pólen e néctar, com humidade no ar que permite bom controlo da temperatura e humidade dentro do ninho, com abundância de abelhas…vão continuar a fazer cria no lugar dessas reservas. Essa cria vai pedir alimento que as abelhas trarão logo que regresse o bom tempo. Onde estavam reservas estarão ovos e larvas…e portanto o que entra será transformado em matéria viva em vez de mel. Continuarão ninhos cheios, haverão hordas de abelhas a nascer por todo o mês de julho.

Tal significa que os pássaros passarão bem alimentados. Que ao apicultor não faltarão abelhas no arranque do outono…e que pouco mel será crestado nas montanhas do vento…excepto se alguma melada doida entrar.

As varroas continuarão a reproduzir..e será ano em que muito boa gente verá o efetivo com problemas, até pelo atrasar da cresta e consequentes tratamentos.

Mas… houve um caso, o de penso ter sido 2013. Em que choveram 11 dias seguidos do mês de junho, e em que me lembro perfeitamente de as ver a pôr 2 a 4 meias alças de mel em pleno Julho. Será o caso?? Era a Happy Hour do Agreste…mas não acredito, por não ser suficiente volume de água para encher o chão.

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Maya is Back!!

Hoje os astros começaram a alinhar-se para 10mm de chuva prevista para os próximos 2 dias. Não nego que este frio me vai quebrar o fluxo…mas vai regar as terras nuas pela colheita dos fenos e vai trazer paletes de cardo bolinha, verdizelas de metro, cardichas gordas. E quem sabe se algumas meladas imprevistas. É um pau de 2 bicos…

…que no entanto é incomensuravelmente melhor do que um verão debaixo de 40ºC.

São desafios diferentes, que continuarão a propiciar cria por Julho…ou seja, haverão jovens abelhas em Agosto que serão campeiras na entrada da tágueda. Mas haverão varroas!, se nada for feito. O que espero sinceramente não seja o caso.

Há condições para ficar esperançoso por um bom outono, é que o primeiro predicado é o de arrancar logo de 7 a 8Q de abelhas. Falta a concretização…e só não uso o ditado “Até lá muita água vai correr debaixo da ponte”, porque é verão! E só corre um fiozinho de água 🙂

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

O Caminho,

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Aproveitando a Sombra

Por estes dias, parte do gado está já ao fresco.

E com algunas castanheiros próximos e a poucos dias de entrar em floração, vai-se aproveitando o fraco mas existente fluxo de mel que o cardo e a silva oferecem. E aproveitando cada gota de mel.

Afinal, quem a um pouco junta mais um pouco, no final tem “Muito Pouco”…que é melhor do que não ter nada. 😉

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Denunciando abate de Sobreiros.

Assim ocorre nos montes do vento.

Este terreno, que penso ter sido adquirido pela Casa Santos Lima para plantação de vinha (foi o que escutei no café), viu por estes dias serem removidos estes e outros sobreiros. Penso que foram removidos com destroçador, e portanto eliminados. A imagem é antiga, e os sobreiros eram já maiores, mas penso ser a única prova existente de que lá estavam.

Posso estar a ser injusto para com o maior produtor de vinho da região, que tem inclusive com a Camara Municipal de Lisboa um protocolo de exploração da vinha da cidade…posso sim e se o estiver a ser, aqui me retratarei.

Mas, será que a limpeza do local ter sido feita num sábado foi inocente?

A queixa está feita às autoridades…duvido no entanto que dê em algo.

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Vai chegando o calor!

Com jeitinho o calor vai chegando. Havendo a possibilidade de alguma chuva prevista para esta tarde. Que se viesse e sem granizo a acompanhar, seria de muito valor para o apicultor…mas péssimo para a malta que tem o feno nas terras.

Portanto a malta dos fenos deve andar a acartar com febre, e deve ir fazer a tarde na igreja com a velinha acesa. Já eu não largo a fogueira a fazer a dança da chuva 😉

A diferença entre um bom verão e um mau verão mede-se muitas vezes por uma rega…a tal que faria os minhos embandeirarem bem, a verdizela chegar em ombros e a cardicha não entrar a seco. Isto faz diferir em 10 apiários uma alimentação a menos ou a mais…portanto, 200 eur em alimento e 80 paus de diesel e 2 dias de trabalho.

Já as cabras, esqueci a porteira aberta e mimaram-se nas heras tenrinhas. Umas finórias! Agora que Don Ruan, vulgo Bode Benfica já está no antro de paixão. É ver se os amores resultam numa vintena de cabritos prontos para as mesas de Natal e outra vintena para aumento de efetivo.

Também por estes dias, estão assegurados 2 novos apiários de transumância e um local para a troca de um apiário fixo. É trabalho a ser feito a pleno verão.

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

E se o coelho fosse antes um gato?

É assim que morrem milhões de pássaros canoros,

Se em vez de um coelho…fosse um gato?

Então…porque se protegem os gatos?. Não entendo…sendo eles os responsáveis por grande parte do declícino de tantas espécies de aves (estas sim importantes para o ecossistema).

Ou seja, talvez fosse bom repensar a coisa.

Aqui não há lugar para gatos!!

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Fui às cerejas!

Aproveitei a ida ao apiário que por lá tenho para ir colher umas cerejas. Essa era a intenção. Só que os pássaros dormem lá…e por lá vivem! Deixaram-me os pés das cerejas (certamente para o caso de eu querer fazer chá) e uns centos de caroços pendurados.

Não provei nenhuma cereja! Nem só uma…

Este é o cenário que se tem vindo a instalar. Com uma brutal quantidade de passarada frutífera que nada deixa escapar. Quando começarem nas vinhas.

Tenho um ódio visceral a esta política pró-bixano que se tem vindo a instalar. E que compara um gato a uma pessoa, ou um estorninho a um pintassilgo…e que proíbe, limita e restringe a vida de quem cá vive.

O resultado disto, é deixarmos de cuidar e de ter as tais árvores que os alimentam. Pelo que o trajeto seguinte é deixarem de haver os tais pássaros. Quando umas autorizações para meia dúzia de tiros escumilha com a t-shirt e o chapéu de palha do espantalho vestidos, meteriam duas dúzias deles no fundo de uma frigideira e faria com que muitos outros pensassem duas vezes em lá irem picar. Haveria um equilíbrio, em que o cuidador das árvores ficaria com metade da fruta e um dúzia de pássaros fritos e ainda com a sensação de que tudo valeu a pena. Já os pássaros ficariam com a outra metade da fruta e com a certeza de que no ano seguinte o homem plantaria mais meia dúzia dessas árvores.

Só que…algum inteligente que nunca subiu a uma árvore…axa-se no direito de escolher sobre a vida dos outros. Sob o pretexto de defesa do animal!! Termina a árvore…quem terminará de seguida?

Eis o cúmulo da inteligência à moda da simplicidade das gravatas e dos fatinhos Armani.

Eu não vivo da fruta, mas nada me admiro se depois um agricultor lhes puser uma caganeira na comida e não sobrar nenhum. Porque é esse o destino que sempre ocorre quando a lei é garantia de desequilíbrio e de falta de conhecimento e falta de sensibilidade.

Nestas histórias não há Principe que venha dar um beijo à Branca de Neve…isto não é a Disney! E uma vez que aterrem 2 ou 3000 estorninhos numa vinha, o dono que dela cuidou um ano inteiro…não ficará feliz, e não haverá Príncipe que os salve a eles nem a todos os inocentes que levam por tabela. Quando a solução era simples, muito simples. 4 amigos numa manhã, 4 caixinhas de cartuchos… um fio de azeite, uma frigideira e 4 dentes de alho. 2 garrafas de vinho e um belo pão tipo Mafra! Resultado do fim de dia…seriam uma dúzia de melros, duas dúzias de estorninhos e convite para o agricultor vir jantar.

98% dos pássaros terminariam vivos mas dispersos e muito mais atentos…

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Apesar do vento

Apesar do vento contínuo deste junho, apesar das péssimas fecundações do final de Abril terem resultado em mais de 100 raínhas que não regressaram…apesar de isto tudo…

Eis que mela!!

E que as montanhas do vento têm ainda assim lindíssimas colmeias que estão ainda a encher umas alcitas. Ainda hoje constatei isso mesmo…e sobretudo a alegria de as ver trabalhar com ninhos cheios de vida e sem varroas à vista nos zangãos que abri. Este facto apenas significa enorme poupança de $$$…e o facto de os ninhos que deveriam já estar a encolher para 5Q/6Q de cria estarem ainda a 8Q Lusitanos de cria…significa que, julho será apinhado de abelhas que terão de ser alimentadas.

Será assim um verão de maior gasto alimentar que obrigará seguramente a gastar mais nesse capítulo. A opção será a de sempre, com xarope pouco denso.

O quanto melará? Não sei, pois se vier uma núvem que regue tudo neste Junho…ainda faria sorrir. Se continuar o pó…então é deixar tudo quieto e ir juntando o que houver. Não acredito que falhe por 2 tambores a maquia do ano passado. E depois dirá o outono se há sorrisos.

É o outono que me permite sempre aquela esperança, que tanto depende das abelhas de verão e de Setembro ser seco ou invernoso. O outono ideal é aquele que traz na última semana de Agosto ou na 1a de Setembro 10mm de água…e depois vira a seco, ameno e sem vento até meio de Outubro. Uma utopia portanto!!, já os vi totalmente secos e muito quentes, já os vi com 2 semanas de chuva e frio mesmo a plena floração…mas também já os vi assim.

Tic – Tac – Cheira a época de colheitas

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Neonics…

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário