Pra lá de louco…

Hoje poderia ter sido um qualquer dia do início de Março, temperatura primaveril, ausência de vento, flores…abelhas numa azáfama.

Pois podia…mas não é!

Há neste momento 4ºc acima do que seria suposto, e as coisas vão tão mas tão bem, que a postura deveria estar a entrar em mínimos, o chão deveria estar saturado de àgua, a ribeira deveria correr barrenta.

Dever, lá isso deveria…

As abelhas continuam aqui e acolá a trocar raínhas como se fosse primavera, com as obreiras a interpretarem muito mal o decaimento de postura das raínhas que tal qual um relógio adequam a sua postura às horas de luz.

Mas o que se passa é que os ninhos estão bloqueados com néctar e muito mas muito pão de abelha. As obreiras continuam a trabalhar…e pensam que as raínhas não têm capacidade, quando elas estão apenas a ser precavidas.

Isto dá origem a Zanganeiras aqui e acolá…pois embora as fecundações possam ocorrer, tudo está fora de ciclo.

A dúzia de baixas que contabilizo deve-se única e exclusivamente a tal motivo (com 3 excepções).

Afirmo…que o melhor que poderia acontecer seria a chegada de 3 ou 4 dias de chuva que obrigassem ao consumo de algumas dessas reservas em excesso e desse sangue aos solos.

É tão estranho este clima que me apraz dizer ” Quando a esmola é demais o pobre desconfia”.

Para o Litoral Norte os apicultores devem estar a esgotar o stock de alças, visto que se há ano em que o eucalipto tem de dar é este…e gostava de ter algum feedback sobre como vão as coisas.

P.S. – Aqui por casa, o mel de medronho já se encaminha para as caixinhas que lhe destinei. E após habituar o palato ao intenso sabor, já o consigo apreciar. E de tão aromático, sente-se por todo o rés do chão.

Anúncios

Sobre abelhasdoagreste

Jovem, apicultor apaixonado e que comercializa inovação apícola.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

13 respostas a Pra lá de louco…

  1. Eduardo Gomes diz:

    Boa noite Afonso
    Não me lembro de um final de Outono como este desde que sou apicultor (2009). As colmeias que tenho no litoral estão na sua grande maioria com sobreninho (modelos Langstroth e Lusitana) porque tinha quadros puxados para estes sobreninhos. Estas colmeias eram pouco mais que núcleos há cerca de 3 meses. Puxar a cera é que ainda não, pelo menos as minhas.

    Estão e encher os sobreninhos de nectar. Nos alvados tive de mudar a régua de entrada da posição de inverno para verão em algumas que ainda assim estavam. O movimento de pólen é tanto que algumas com entradas mais reduzidas, se via algum pólen caído no chão.

    Em 40 colmeias que tenho em Coimbra duas estão a substituir rainhas neste momento e uma que se antecipou nesta tarefa tem rainha nova fecundada em Novembro.

    Como encontrei 2 colmeias com sinais preocupantes de criação calva, fiz uma amostragem de varroa nos operculos de obreira e não gostei do que encontrei. Decidi antecipar o tratamento em todas por uma questão de precaução e gestão das tarefas.

    Estou a trabalhá-las para a produção de núcleos lá para fevereiro. Vamos a ver se será possível.

  2. Eduardo, nas minhas não lhes dei mais do que uma meia alça, outras estou a manter apenas os ninhos. Talvez esteja a ser medricas injustificadamente e como tal a deixar passar um excelente fluxo sem o aproveitar…mas também não me recordo de algo assim, desde que tenho colmeias e já lá vão 10 anos! Na 2a semana de Novembro a temperatura deveria ter caído abaixo dos 20 para só lá voltar em Março…recordo-me de há alguns anos um mês de Dez com 2as semanas nos 17ºC/18ºC que originou enxameações (neste momento já não tenho esse problema por estas abelhas teimarem em reduzir cria devido à sua origem ancestral tipo C)…
    As x isto da apicultura é tão tão diferente de ano para ano que mesmo passado 10 anos leva-se cada rasteira sem saber ler nem escrever.
    No entanto vou manter o plano e ser conservador até fim de janeiro…sinto-me mais seguro desta forma. Mas mais uma vez não sei se estou correcto.

    Voçês aí em Coimbra podem fazer uma barbaridade de mel se isto continua assim…

  3. Jorge Filipe diz:

    Bom dia Afonso, eu aqui para os lados de Mafra tenho a maior parte delas com 3 meias alças e estou a ver que com este tempo sem agua em breve vou ter de lhes dar mais uma pois se não tiverem espaço com 8 e 9 quadros de criação enxameiam e ainda no meio de Novembro tirei há maior parte delas algumas meias alças de mel. Isto está a ser um ano um pouco estranho só espero que ainda venha muita água pois ontem andei semiei 5 kilos de colsa e a terra não está com muita umidade. Afonso recebi umas rainhas Buks em julho vindas de França fiz uns nucleos só com dois quadros estamos no inicio de Dezembro e algumas já levam 2 meias alças, são um espectaculo a fazer mel. Um abraço.

    • Pois é Jorge, aí pertinho do mar a história é outra…tiveram tágueda, margoriça e o eucalipto começou ainda em outubro, sendo muito. Basta boas abelhas e alças puxadas que elas sobem logo. É para compensar o péssimo verão que tiveram aí!
      Mas uma questão deixo; Não seria melhor ir crestando os selados e substituindo-os por vazios em vez de meter tanta lenha em cima? Poupa-se material e se vier mau tempo não o comem pois já está no frasco. Diria que no inverno mais de duas meias alças em cima de um ninho Lusitano não fazem falta se formos crestando.

    • Jorge Filipe diz:

      Boa noite Afonso é assim se tiverem só 2 meias alças ficam muitas na Rua e podem enchamear e mais vale prevenir que remediar. Ainda estou a fazer rainhas e a percentagem de fecundação ronda os 60%.

  4. Eduardo diz:

    Eu até fico maluco ao ler as vossas msg! Aki no norte o frio aperta um pouco, as abelhas estão de ferias ha mt tempo…

    • apibeiras diz:

      Nem mais, aqui no interior do interior, na mesma. Tudo paradinho esperando o solstício 🙂 Boas apiculturas nesse Portugal de Primavera Outonal tão longe e tão perto…

    • Cada local tem as suas caractrísticas…mas este ano tudo está novamente de pernas para o ar aqui no litoral. Após um verão sem mel…o inverno e as muitas horas de luz devido à falta das núvens fazem com que tudo esteja demasiadamente adiantado e os eucaiptos tenham muito mais flor que o normal.

  5. Elísio M. diz:

    Olá Afonso ,
    aqui na Bairrada as coisas também vão loucas , é um facto que estamos com uma primavera antecipada , o eucalipto está cheio de flor desde os mais robustos de grande porte, aos que foram plantados há meia duzia de anos , é raro e não me lembro ver tal fenómeno . Aliado a isso estão as altas temperaturas para a época , flor de eucalipto sim , mas em arvores tão novas não me lembro .
    Com estas anormalidades ou surpresas , as abelhas não param de coletar nectar e polen a todo o vapor , houve um arranque antecipado exponencial de cria , neste momento têm criação em 9 quadros , coloquei o sobreninho há cerca de um mês só em metade dos meus enxames ( dez) e já estão cheios , mas penso que o pior ainda está por vir . Existe o risco de enxameação , é um facto , mas por prudência não coloquei em mais , mas se o tempo assim continuar (e parece que sim pelo menos + 10 dias) neste fim de semana vou ter de colocar o sobreninho nas restantes (Reversivel).
    Tenho um enxame que já está com duas alças em cima , enxame isolado bem protegido dos
    ventos , eucaliptos mesmo encostado (mestra melhor que as outras ???).
    Crestar mel nesta altura não será um pouco prematuro ? , é verdade que estão com bastante (de eucalipto só pode) mas estará maduro ?

  6. Elísio, todo o mel selado está maduro e pode e deve ir sendo crestado. Se depois vier frio prolongado 1 pacote de fondant alimenta-as. Mas se elas pedem alça…dá-lha! Ainda agora cheuei a casa e nem todas aquelas a que dei alça subiram (algumas têm apenas 200 abelhitas ali a passear e a puxar alguns cantos de ceras) mas há outras a pedir a 2a, tendo a 1a cheia de néctar e ainda abelhas a saír pelo óculo.
    Não sei interpretar isto nem o maneio mais correcto…pois devia estar tudo parado ou quase!
    sei que mal sele…vem para casa e começa a encher o bidon!

    • Eduardo Gomes diz:

      Afonso e companheiros de lides
      Primeiro é gratificante ver as nossas colmeias no litoral a desenvolverem-se a bom ritmo. Mas como vocês dizem a missa ainda vai no adro! Vamos a ver o que nos reservam os próximos meses até à entrada da primavera.

      O mel selado estará ou não maduro? Eu também pensava o mesmo que sim que estava, contudo alguns apicultores norte-americanos e italianos já mediram níveis de humidade superiores a 18,5% em mel selado. Com teores de humidade acima dos 18,5% os meis podem fermentar com alguma facilidade. A cresta invernal pode ser imprudente sem a utilização de refractómetro para avaliar rigorosamente a taxa de humidade no mel que se pretende crestar. Por outro lado o mel é higroscópico (tem tendência a absorver a humidade ambiente) e a cresta invernal pode obrigar a desumidificadores na sala de extracção. Nuca extraí mel nesta altura do ano e portanto estas considerações são apenas teóricas. Mas às vezes até a teoria acerta!

  7. dino diz:

    Olá Afonso.
    Quanto aqui no litoral é como dizes, é tempo de meter alças, algumas já levam três o que para esta altura, é caso raro.
    Também tens razão, em relação as zanganeiras, as que têm os ninhos bloqueados logo trocam de mestra. Mas o mal, é que, quando trocam, poucas são as que fecundam, não sei porque, mas de certeza falta de machos não é .Mas também é verdade elas estão a matar os machos, estarão a precaver-se ou a adivinhar algo, a ver vamos.
    Quanto ao tempo é uma alegria, e mais esta semana e que a temperaturas pareciam de Março, e o vento nem velo.
    É caso para dizer que este é o ano do eucalipto!
    Mas ainda é muito cedo para confirmar.
    Abraço

    • É isso Dino…
      E desbloquear ninhos nesta altura é muitas vezes contraproducente…é que desatam a fazer cria e diminui as reservas, e se de repente chega uma frente fria ficamos desarmados.
      Por outro lado ao não o fazermos perderemos algumas zanganeiras.
      Preso por ter cão e preso por não ter.
      Boa parte das minhas amarelas (linha 208) é de paragem pronunciada de postura e por isso têm cria mas bem menos do que as ibéricas, pois prefiro-as assim, visto que um ano destes é a excepção. Felizmente que a enxameação deixou de ser problema…se fossem ibéricas não ganhava pró gasóleo de andar a recolher enxames!
      No entanto as filhas da BZF que será a minha matriarca de 2016 explodiram de cria (tenho 2as aqui ao pé da porta), fecundadas no início de Nov e metidas em 4Q de abelhas, têm já 5Q de cria e movimento brutalmente louco, ocupando quase a totalidade do ninho lusitano. Não tarda tb pedem meias alças, tal a dinâmica que revelam. Outras 3 filhas da EST1 fazem exatamente o mesmo e como são de Julho, apesar do pouco eucalipto, levam a meia alça posta apenas dias atrás já cheia de néctar…e se não arrefece, tenho de lhes dar outra.
      Outras experiências que estou a testar em modos de producção diferente tb vão bem, e as unidades de Julho a que estão nos apiários a que decidi meter alças têm já duas…e ou muito me engano ou levarão mais duas se o tempo não mudar (apenas tenho medo que caiam com o vento).
      Mas isto não é um ano normal…e pode ser um prenúncio de uma primavera muito muito má! Pois todas as espécies estão a diantar demasiado o ciclo devido à exposição solar ser fora de norma, o pico das flores pode chegar demasiado cedo, ou ser destruído por um fevereiro frio e as abelhas depois recuperarem demasiado tarde para darem algo.
      Cada vez me convenço mais que a apicultura maioritáriamente fixa vai ganhar terreno aos transumantes, mas vai ter de deixar de ser uma apicultura convencional.
      Talvez daqui por um ano tenha resultados, fotos e dados concretos que me permitam abrir mais o jogo neste ponto e partilhar mais conhecimento, pois continuo a acreditar que podemos ter cada unidade a produzir médias de 40+ kg se pensarmos fora da caixa (quando a média é de 12kg em Portugal).

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s