Resultado e Perspectiva futura da nossa acção!

Ontem, dia 19 decorreu na Praça do comércio a acção de reivindicação das alterações à rotulagem do mel por mim promovida e que contou com o apoio de diversas associações, cooperativas e apicultores particulares. Alguns estando presentes e outros demonstrando o apoio através do envio de cartas para as respetivas direcções regionais de agricultura.

Os 4 pontos pedidos estão contidos na carta abaixo,

min_agric

A mesma foi entregue ao Sr. Ministro da Agricultura por mim próprio e em mão.

A TVI esteve presente e fez o pequeno trabalho que deu conta do nosso pedido,

Fomos recebidos pelas 11:40 pelo chefe de Gabinete do Sr. Ministro, pois existia uma reunião entre ele e o 1º Ministro a essa hora.

Expusémos o essencial e houve uma clara abertura para a alteração do decreto de lei por forma a colocar na mesma a obrigatoriedade de especificar no caso de méis de mistura as percentagens de mel oriundas de cada país, assim como alterar para a frente do rótulo essa obrigatoriedade, por forma a torná-la mais visível ao consumidor.

Alertámos para que as correntes acções de fiscalização passem a ser feitas com análises modernas e que mais fácilmente detectam as fraudes.

Houve ainda um compromisso para se estudar a melhor forma de que os produtos transformados que contenham mel sejam também obrigados a revelar a origem do mesmo.

Assim, iremos brevemente reunir com uma federação de Agricultores que nos prestará apoio jurídico por forma a que estas propostas cheguem com brevidade a letra de lei.

 

Após o almoço reunimos na Assembleia da República com os deputados do maior partido da oposição e em que expusémos as mesmas propostas com igual acolhimento. Algo que foi muito gratificante.

Sentimos assim que ambas as propostas que partirão tanto do governo como da oposição irão no mesmo sentido e esperamos assim que vejam brevemente a letra da Lei.

Houve ainda tempo para convidar uma delegação a visitar uma das acções de formação que estão próximas, neste caso será na CAL (Loures), e ficou marcada com ambas as partes o agendamento de uma reunião com um colégio de apicultores que vou brevemente tentar reunir, afim de cada um detalhar os problemas da sua àrea específica de trabalho.

Assim irei convidar;

Joaquim Pífano – em representação dos apicultores do Sul detalhar os problemas do PAN e enumerar soluções pretendidas

João Tomé – em representação da Beira para detalhar o problema da transumância em massa de apicultores de outros países e soluções pretendidas

Harald Hafner – Em representação da vertente mais de Apicultura Natural e apicultores da zona montanhosa do Interior

Sandra Barbosa – Para explicar como promover produtos da colmeia menos conhecidos e representando Trás os Montes e Alto Douro

Bruno Moreira (Turma da Abelha) – Em representação do Litoral Norte e sobre o tema da Vespa Velutina

Eduardo Gomes – Em representação dos aoicultores da zona centro e que proporá o que entenda estar em falta para os grandes produtores de mel

Eu mesmo em representação dos apicultores de Lisboa e Oeste, falarei e proporei as alterações alterações que vejo como essenciais para o tratamento da varroa.

Assim, iniciarei pessoalmente dentro de poucos dias o endereçamento pessoal destes convites, e caso alguma das pessoas não possa ou queira pedirei a essa mesma pessoa que me indique alguém da respetiva região que possa representar a mesma.

Obrigado a todos os que participaram ou fizeram força para que esta acção tivesse os resultados pretendidos.

 

Anúncios

Sobre abelhasdoagreste

Jovem, apicultor apaixonado e que comercializa inovação apícola.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

8 respostas a Resultado e Perspectiva futura da nossa acção!

  1. José Nunes diz:

    Parabéns pela coragem e empenhamento numa causa tão importante em prol de todos.

  2. Helena Nunes Gomes machado diz:

    Vi e gostei.

  3. Bom dia, Afonso!
    Penso que o grupo de trabalho definido reúne pessoas muito válidas nas várias temáticas que constituem os problemas da Apicultura Nacional. Acrescentaria mais uma pessoa para trabalhar a ponte entre a agricultura e a apicultura, nomeadamente os problemas das monoculturas, reflorestação da paisagem e aplicação de medidas agro ambientais que apoiem simultaneamente o setor apícola (Apoio Agroambiental à Apicultura).

  4. ola, bom dia, deixo aqui os meus parabéns pela vossa iniciativa.
    Um grade abraço.
    José Manuel

  5. Pingback: Protesto para pedir rotulagem clara do mel | BeeRural

  6. Jorge Tiago diz:

    Bravo.
    Afonso, parabens, o primeiro passo está dado a semente foi deitada a terra.
    Agora resta esperar que não caiam em saco roto todos os esforços.

    Jorge Tiago

  7. José Marques diz:

    Olá Afonso

    Penso que foi Arquimedes, sábio grego que, há cerca de 2.150 anos, inventou a lei da alavanca e terá dito :” Dêem-me um ponto de apoio e eu , com uma alavanca, levantarei o mundo”. Não levantou, mas ajudou a levantar !
    Eu não tenho essa pretensão, mas posso dar uma pequena achega, a bem da apicultura e dos apicultores portugueses.
    Para que o Movimento, agora iniciado possa elevar o nível da apicultura terão que se mobilizar muitas forças e vencer muitas resistências. A frente política (Ministério da Agricultura e Grupos Parlamentares) , Entidades Públicas (Direcção Geral de Alimentação e Veterinária) e Privadas (Federações e Associações Apícolas), Comunicação Social (Canais de Televisão, Rádios e Jornais) terão que ser abordados e motivados. Como já foi iniciado, os líderes do Sector devem ser chamados a participar.
    No Blog :” abelhas à beira”, em 24 de Outubro, de 2016, é apresentada uma Exposição sobre
    “mistura de meis UE e não UE”. Levantam-se dúvidas sobre resultados a esperar da abordagem política e sugere-se a elaboração de um plano B.
    Penso que isso faz sentido (gato escaldado de água fria tem medo ) , mas não conceberia um plano B, a aplicar quando o plano A falhasse, mas sim elaborar dois Planos simultâneos A1 de abordagem política e A2 de abordagem técnica/administrativa.
    Foi sobre o Plano A2 que avancei algumas achegas, ainda não publicadas e que transcrevo aqui:
    À semelhança do que fizeram os franceses, com bons resultados, para distinguir a geleia real produzida em França, criar um Rótulo adicional (contra rótulo ou logotipo) para distinguir o mel nacional e outros produtos apícolas, dos importados ou misturados :
    MEL NACIONAL ou MEL PORTUGUÊS ou MEL DE PORTUGAL
    Idem para outros produtos apícolas
    1 – No âmbito da Direcção Geral de Alimentação e Veterinária e Federações Apícolas, com conhecimento e participação das Associações Apícolas criar uma Equipa ou Agência de CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE e ORIGEM, à semelhança do que se faz noutros sectores da indústria.
    No rótulo adicional constaria : “CERTIFICADO Nº.. e CÓDIGO”
    2 – Os apicultores certificados formariam uma Associação de serviços comuns ao nível da produção, comercial e controlo .

    Para elevar o nível da Apicultura será necessário motivar e unir os esforços de todos.
    Saudações

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s