Testemunho da exigência!

Hoje, resolvi escrever um pouco sobre o que penso ser o caminho do futuro apícola.
Como todos os que visitam regularmente este espaço que pertençe a toda a comunidade apícola sabem, sou adepto de boas abelhas.

Hoje um amigo visitou-me para levar o seu pólen que eu havia seco e limpo, e enquanto conversávamos, íamos mexendo nas abelhas que entravam e saíam daqueles 4 núcleos, afagando algumas como se fossem um gatinho a ronronar no colo, estando na sua linha de voo e deixando que as abelhas guarda nos trepassem para as costas da mão.

Penso que na apicultura do futuro, a mansidão tem de ser um denominador comum, algo que temos de exigir de uma abelha que seja “de apicultor”.

Se as tenho todas assim? Ainda não!, mas estou muito mais perto de o estar.

Só reproduzo raínhas notóriamente mansas, elimino sistemáticamente raínhas que originem abelhas nervosas e portanto isto tem melhorado incomensurávelmente.

Algo que noto, é que as abelhas deixaram de atacar a roçadora e que dos apiários do centro apenas tive de eliminar este ano 2as raínhas por estas serem de notória agressividade.

Não sei se conseguirei sem recurso a mais tecnologia chegar a ter abelhas que me permitam ir em manga curta abrir um apiário…mas tenho isso em mente, num futuro mais ou menos distante, mas que vejo aproximar-se diante de mim.

Esta é a exigência que gostava de ver ser tida por todos os apicultores, que em vez de gastarem a sua energia a perseguir enxames empoleirados, a gastem ao invés a reproduzirem e escolherem o gado mais manso e produtivo.

Aqui no Agreste o próximo passo será o de adquirir material genético capaz de diminuir o número de tratamentos anuais para a varroa para 1 tratamento anual. Ainda não sei se com o nosso clima, esse caminho será curto…mas vou tentar, e se conseguir, então será um novo capítulo!

Vejo a apicultura cada vez mais como uma atividade em que não faz sentido certo tipo de esforços nada amigos das costas nem do ambiente, mas que crescentemente terá de ser uma atividade diferente do tradicional e cujos apicultores devem antes demais perceberem o que a sua localização pode dar com menor esforço.

As vezes axo que sonho demais…mas depois olho para trás e vejo o que está feito, e ao virar a cabeça na direcção do futuro vejo que posso fazer mais um pouco. Um dos exemplos disso é o pólen, em que tenho captado mais e mais e mais a cada ano que passa…e em que este ano a meia tonelada é a meta perfeitamente atingível se o outono for minimamente normal…mas em que já cheiro a chegada ao meu “targuet” de 1a ton anual.
Mas há outros exemplos, outros produtos, outras metas a chegarem.

Cada um tem de fazer o seu caminho…ter idéias próprias. Gurús não existem, mas existem pessoas que podem ajudar-nos a nos tornarmos melhores profissionais e pessoas, e em que sem qualquer dúvida para mim, a abelha produtiva mas mansa é o denominador que tem de ser comum, afim de tornar a apicultura mais integrável numa sociedade urbana e mais próxima de ser o primeiro insecto domesticado.

Cada vez mais a paisagem é urbana, as pessoas estão concentradas, e seria um grande erro deixar que essa vasta maioria veja a abelha como um animal agressivo. Só uma abelha mansa traz pessoas à apicultura. E as pessoas que mais interessam à apicultura são os pequenos apicultores, pois são eles o garante de uma polinização o mais uniforme possível em todo o território, o garante da diversidade cultural e genética e portanto o garante da nossa Apis!

O grande apicultor pensa muito mais na perspetiva empresarial, e sendo importante pela mais valia económica que gera, está muito longe de ter a importância dos milhares e milhares de colmeias que estão nos pequenos apiários, quer urbanos quer em volta das aldeias. Esta minha querença foi-me confirmada quando há dias, e no centro da grande Lisboa uma fiada de 20 tílias completamente floridas e um canteiro de girassóis na mesma localização se me depararam completamente desprovidos de abelhas melíferas nem bombus.

Espero desta forma estar a contribuir mais um pouco com a minha visão para a apicultura, e a criar em alguns apicultores mais algumas sementes.

Anúncios

Sobre abelhasdoagreste

Jovem, apicultor apaixonado e que comercializa inovação apícola.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Uma resposta a Testemunho da exigência!

  1. Carlos Figueiras diz:

    Boas Afonso. Concordo contigo, acho que abelhas dóceis é o princípio para toda a comunidade aceitar a abelha, como um insecto espetacular, importantíssimo para toda a vida terrestre.
    P.S. Escolhe as mais mansinhas para os meus núcleos.
    Abraço!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s