3a semana!

Estamos  desde fim de Fevereiro (penso ter começado por volta do Carnaval), com o temporal instalado e núvens estacionadas em modo rega permanente sobre as nossas cabeças.

Neste momento a carrinha não chega nem próximo dos apiários.

Pelas colmeias que vou abrindo, não há falta de hidrato de carbono. Pois aqui e acolá elas têm conseguido saír por um par de horas.

Mas as reservas de pólen estão nas lonas…as raínhas estão a parar de pôr e não se avizinha nem 1 dia de tempo bom que permita repôr as reservas de pólen (pois faria falta 1 dia de tempo enxuto). Apenas entraram algumas cargas de pólen por duas vezes…mas era pouquinho, com meia dúzia de cargas por minuto e por um par de horas apenas.

As colmeias estão populosas, há uma enormidade de cria selada a nascer.

São Pedro tem uma semana mais de chuva que nos pode dar sem nos ferir a campanha. Daí para diante as colmeias começarão a ficar desiguais e repetiremos o padrão de 2016, com colmeias a 6 meias alças…ou a zero!, dependente de como saírem desta continuidade de temporais.

Correr a elas com pasta proteica é uma impossibilidade. Tudo teria de ir à mão, em alguns casos cerca de 1Km, pois já nem os caminhos de terra (aqui é barro tipo Barro de oleiro) são transitáveis.

É esperar…esperar…esperar!

Tenho em crer que será um bom ano de mel e muito mel claro…má Primavera de pólen. E um desastre para quem nucleou aos moitões antes deste mau tempo.

Cada dia que passa sob esta sopa, estou mais convencido de que fiz um bom maneio ao não nuclear e tendo desbloqueado e alimentado dias antes do mau tempo. É essa enormidade de jovens abelhas que nascem esta semana…são essas as campeiras que terei no regresso do tempo bom, e que fácilmente me entupirão as colmeias de pólen com 2 bons dias de colheita.

As colmeias, tal como previsto estão a deixar de fazer zangão, e se isto se agravar, não haverá enxameação por pelo menos mais 4 semanas, indo haver um enorme pico de enxameação pelo 25 de Abril a 10 de Maio. Este é o tempo que medeia entre 1a ronda de criação de zangão e maturidade dos meninos. É que no fim deste mau tempo, mesmo havendo muitos zangãos em algumas colmeias…são machos pifos!, velhos e mal alimentados. Quero as minhas raínhas fecundadas por magalas jovens e fisicamente no seu prime…e não por cinquentões mal nutridos e com baixa viabilidade no seu esperma.

A única coisa que realmente está lixada com este tempo, e que não tem volta, é o número total de dos desdobramentos (será cortado em 1/3). De resto…é lindo ver o que fará ao campo!!

P.S. – 1)Aqui na vila as laranjeiras só terão flor para abril, tal como as glicínias. A última vez que isto ocorreu…melou até meio de Julho, com a chuvada de junho.

2) Assim que possam abrir as colmeias…façam baixar a varroa!! é que ela vai ter pouco onde se esconder com a diminuição da quantidade de cria…e é uma chance única de lhe dar uma tareia a plena campanha, fazendo as abelhas chegarem sem trabalhos de maior ao verão. Incluso no Alentejo já deixei timol…aqui mais a Norte a temperatura está baixa demais para isso…por enquanto!

Sobre abelhasdoagreste

Jovem, apicultor apaixonado e que comercializa inovação apícola.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

8 respostas a 3a semana!

  1. JG diz:

    Que faço..?
    Normalmente combato a varroa com acido formico ou com timol diluido em oleo e empregue em esponja. Fiz o ultimo tratamento em finais de outubro precisamente com o timol. Agora está na altura de voltar ao combate da bicharada…mas creio que tanto para o acido formico como para o timol, as temperaturas minimas que se fazem sentir na minha zona (7/8º) não serão propicias.
    Devo esperar?…tratar com outro acaricida?

    Obrigado

    JG

  2. Dia 18 a temperatura melhora e pode ir a elas!!

  3. MIGUEL RODRIGUES diz:

    Ola Afonso
    Sendo eu leigo na materia tenho procurado informaçao sobre o acido formico mas preciso de ajuda…o formico pode ser utilizado mesmo com alças? em qualquer altura do ano desde que a temperatura o permita? E aproveitando a deixa do colega como é feita a diluiçao do timol e em que quantidades?
    Abraço Miguel Rodrigues

  4. Começando pelo fórmico,
    Usar com concentração de 60 – 65%, fia 3 folhas de papel de cozinha entre a meia alça e o ninho. 25ml/colmeia em 3 aplicações espaçadas 6 dias entre elas e temperaturas diurnas na casa dos 18 – 28ºC…é o ideal (atenção que isto é apenas uma indicação, pois a lei não me permite aconselhar o uso…e atenção as normas de segurança).
    Quanto ao timol, 2as partes de oleo vegetal por 1a parte de timol (em peso). Aquece o óleo sem chegar a ferverver, mistura…e coloca em papel de cozinha ou vermiculite. Embrulhe em papel prata e congele. Aplica sobre os quadros do ninho com uma meia alça vazia em cima. 9g de timol por colmeia. 2as aplicações espaçadas 10 a 15 dias. Também são indicações de livros…pois a legislação mais uma vez não me permite aconselhar o uso.
    😉

  5. Qunado o apicultor aplica…tira o papel de prata e parte em 2…como se fosse um Apilife-Var

  6. Miguel Rodrigues diz:

    Pois a legislação só permite que fiquemos sem o couro e sem o cabelo e p que pague mos bem para ficar sem ele…obrigado

  7. Miguel Rodrigues diz:

    Mais uma pequena questão isto pode ser feito em escala ou tem de ser doses individuais?
    Obrigado

  8. O Timol pode ser feito por exemplo a dose para 20 de cada vez e depois dividida pelas 20 placas…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s