Varroa + conhecimento

Os investigadodes Anderson e Truman relacionam positivamente o tempo em que uma varroa se encontra em estado forético e a quantidade de malformações que as larvas de abelha parasitadas apresentam na sua emergência enquanto abelhas adultas.

Assim, é possível extrapolar que a carga vírica presente nas varroas é aumentada durante o tempo em que estas passeiam na colmeia. E portanto 2 caminhos podem ser apreendidos.

1 – Ou a carga vírica sobre replicação dentro do corpo da varroa

2 – Ou enquanto a varroa salta de abelha para abelha e se alimenta de várias abelhas, esta herda e acomula a carga vírica que as diferentes abelhas nela tenham.

Seja qual for o caminho, é uma importante fonte de conhecimento, como o é a recente info de que afinal a varroa se alimenta preferêncialmente de tecidos gordos e não de hemolinfa como até aqui se pensava.

Fica mais esta bicadinha de conhecimento…enquanto a campanha não arranca em força.

Sobre abelhasdoagreste

Jovem, apicultor apaixonado e que comercializa inovação apícola.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s