Dias de Sorte,

Na volta anterior, passei faz hoje 14 dias no apiário a que hoje regressei.

Bons ventos lá me levaram hoje, pois havia retirado a raínha e 2Q a uma das melhores colmeias, que de tão cheia tinha nesse dia 4 taças e 2as delas com ovos.

Assim, nesse momento aproveitei e torci 2 toucos de cera recém ovada.

Hoje em ambos os toucos tinha dua s lindas barras de realeiras com raínhas a cortarem as pontas.

Como no aproveitar está o ganho, aproveitei para trocar algumas raínhas de colmeias que estão agora a chegar à condição de meia alça, e aproveitei para fazer mais meia dúzia de núcleos e trocar outras duas langonas que não atavam nem desatavam.

Com o bom tempo, com uma semanita de pausa de postura e com a varroa razoávelmente baixa. É no caso deste apiário…tempo de gozar os louros, e de que mal estejam elas fecundadas, se possa captar oiro. Neste caso são 20 os captas, e tiveram que ficar sobre os telhados, pois elas fecundam melhor sem estorvos.

Ficaram lá as 5 melhores, intocadas e com a 1a meia alça já pesadona e a 2a a fazer castelo. Serão desdobradas numa fase mais adiantada. Não tinham taças, nem ânsias. É de se lhes aproveitar os zangãos..e mais tarde as filhas.

P.S. – Não menciono características anatómicas específicas. Mas é giro observar como se mantêm certas características herdadas. No zangão é por demais evidente o que sobressai, e como as escolhas que se vão fazendo apenas e só por parâmetros de cria e producção, vão quase invariávelmente todas buscar certas características de que descendem 5 ou 6 gerações atrás. O mais engraçado de ver é o quão mal o ancestral Carniolo cruzou e que levou a que práticamente seja hoje inexistente. Mas o quão marcado é hoje a tipologia física tanto em obreira como em zangão com notáveis semelhanças físicas do ancestral Anatólico.

Pessoalmente estou-me nas tintas se são mais loiras ou mais morenas. Tenham elas bom padrão de cria, não enxameiem à 1a desculpa e sejam boas a acumular. Mas lá giro é…

Outra coisa engraçada de se ver, é o quão bem as abelhas negras descendentes de uma única colónia interessante da exploração que adquiri 2 anos atrás cruzaram com estas. Foram realmente boas as da primeira geração a que só fiz 1 translarve. Mas das duas a que fiz translarve nas geração seguinte e que resultaram nesta abelha que axo tão boa e que rápidamente perdeu certas características morfológicas e que incorporou com maior qualidade outras coisas boas que por cá haviam.

São Zangãos…São Zangãos

Não deixeis nascer quem não queres ver cruzar. Dai números substanciais àqueles que te colocam a comida na mesa.

Mais do que apenas raínhas… Papai importa!!

São Zangãos…São Zangãos. Muitos e bonitos 😉

Sobre abelhasdoagreste

Jovem, apicultor apaixonado e que comercializa inovação apícola.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

5 respostas a Dias de Sorte,

  1. miguel diz:

    escolher, selecionar, eliminar o que não produz, não estará a ir longe demais, não serão precisas todas as linhagens, não é no cruzamento das “boas” com as menos boas e com as más, que se consegue uma linhagem diferente e talvez mais resistente, será que só interessa as que actualmente produzem muito, não seremos nós apicultores que com a selecção para obter-mos maior produção estamos também a ajudar a acabar com as populações de abelhas.
    Já agora valia a pena pensar nisto.

    • Miguel…tudo o que o apicultor faz é pensar nisso. Para que queremos as que não são saudáveis, as que não avançam com os mesmos recursos das outras? Se podemos ter boas…não teremos más.

  2. Nuno diz:

    Deixarmos de ser ecologistas extremos mas sim darwinistas… penso eu! Quem me dera tão boas linhagens…quem me dera, com muito tempo, paciência e um pouco de sorte talvez…Saudações apícolas, bons posts!obrigado

    • Nuno…deve tê-las aí também! É ir fazendo filhas das melhores, e ir eliminando as piores e desbastando o zangão mais manhoso. Nunca esquecer que de zangão selado até fecundar raínhas distam 3 a 4 semanas.

      • miguel diz:

        Se só tivermos uma visão de lucro presente a resposta é selecionar sempre as melhores, mas deixe-me dar só um exemplo 90% ou mais do pasto que as abelhas neste momento usam foram plantados pelos nossos pais, avós, se eles tivessem pensado só no lucro presente neste momento não haveria nada para elas comerem e com a melhor selecção que pude-se fazer não teria sequer abelhas, não sou eu que o digo mas sim estudos já efectuados.
        Não é uma questão de ser ecologista ou darwinista, tanto que darwin menciona na “origem das espécies” a deversidade biológica, a seleção natural, sem intervenção humana.
        Já agora deixo um elogio ao seu blog, pelos muitos temas que aqui coloca, mas não posso deixar passar o tema da seleção sem contribuir com a minha opinião.
        Nós apicultores como amadores ou só como hoby esta-mos a contribuir para a própria extinção das abelhas, te-mos na minha opinião que dar lugar a todas as variedades, te-mos que parar de alimentar com produtos sintéticos e sim plantar mais arbustos, árvores, sementes, dar-lhes condições o mais próximo possível do natural do ecológico do darwinista.
        As abelhas só precisam que nós não estrague-mos ainda mais, pois como bem sabem as nossas abelhas não precisam de nós, nós é que precisa-mos e muito das abelhas

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s