Felizmente que:

Felizmente que o “Regimento de Cavalaria” está para chegar em breve! Digo isto sabendo que vêm trabalhar comigo, e que além do mais são meus amigos. 🙂

É motivante por isso o Outono, porque é aquela altura do ano em que o simples facto de trabalhar acompanhado, motiva! É que após uma longa campanha quase sempre sozinho, ter uma voz, um apoio, irmos dizendo umas larachas…é fixe!

E quem manda na data de início de Outono?

 

 

São elas, as flores e os orvalhos. É a inclinação do sol, a disponibilidade de cria. Não é o calendário.

O primeiro dia desse último momento, será de armazém. O dia em que eu termino as ceras, limpo com a roçadora as ervas secas e trato do pólen e os meus companheiros de trabalho me deixam o armazém ao jeito de voltar a sentir orgulho de nele trabalhar.

Daí em diante é uma sucessão de eventos, com um de nós a preparar as cargas de núcleos, de xarope, de tratamento, colmeias e a tratar de arrumos. E os outros a ir colhendo o que cada apiário deu. São 6 a 8 dias desta vida, com idas nouturnas à melaria, cargas, descargas. Pólen a entrar, a saír…enxames a serem entregues, núcleos a pedirem a sua DDA (Dose Diária de Alimento)…raínhas a serem colhidas e enviadas, muitos desdobramentos, amostras de varroa, finalmente colher o material que está a mais nos apiários e formar novos. Chegadas e saídas já sem luz ou ainda sem luz.

O dia da abertura da caça a chegar…e eu a dobrar-me para poder ir, mesmo que coxo e dorido, dê por onde der, nem que sejam 2as horinhas pela ma(nhã)…drugada… pow, pum…vamos trabalhar, espera!, pow…pum. Agora sim!

É porreiro o Outono…

Depois digo-lhes adeus. Fica só a faltar a Pasta assim que quebre o fluxo. Desce a cortina de mais uma campanha. Os dias tornam-se frios, pequenos, húmidos e sombrios. Apagam-se as luzes…até já!

Nem sempre é assim. Mas geralmente é!! E que este ano o seja. Motivação não falta. Sr João, Rúben…falta pouco mais de 1 mês para nos reunirmos. Seremos 3 ou 4 este ano…e se tudo correr como deve, o “grand finale” será sentados à mesa, a debulhar umas tirinhas de presunto Pata Negra, umas murcelas com arroz, uma posta de bacalhau XXL, um jarro de bom vinho Alentejano. Talvez o almoço do ano que mais gosto me dá pagar. Pois sempre que acontece, quer dizer que o ano foi bom o suficiente.

 

Sobre abelhasdoagreste

Jovem, apicultor apaixonado e que comercializa inovação apícola.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s