Assim termina 2017

2017 apícola termina desta forma…faltando apenas os desdobramentos de outono.

 

Hora de meter raínhas ao lume, uma pitada de sal, e tempero de apicultor.

Recuperar as perdas de verão e aumentar o efetivo…

Dentro de momentos abre o Eucalipto e com essas flores entra o 2018 apícola.

Anúncios
Publicado em Uncategorized | 2 Comentários

Matemática Assustadora!

Vejamos as evidências de um dos mais importantes indicadores no que à apicultura diz respeito, e que é o total de dias sem chuva.

A Pordata foi o site que forneceu os dados para Lisboa; DADOS PORDATA

Década de 60 – 242,6

Década de 80 – 257,7

Década de 2006 a 2016 – 260,2

Esta perca de dias de chuva afeta sobretudo as Primaveras que se extinguem demasiado rápido. São quase 20 dias de chuva a menos, ou seja, perdemos quase 20% de dias de chuva (5% por década), que aliado a pluviosidade concentrada e maior taxa de evapo-transpiração, fará com que meis de Primavera tendam a escassear, pois tudo seca mais depressa e a probabilidade de re-hidratação será menor.

A matemática é crua, é fria e assusta muito!…mas não mente.

Prevejo que a perda se acentue…estamos a tornar-nos num deserto durante a minha esperança de vida.

A pergunta que faço a mim mesmo é: O que posso fazer para ajudar a mudar isto?

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Guia a Novos Apicultores…

Com o objetivo de guiar os novos apicultores, resolvi deixar uma pequena lista daquilo que penso ser-lhes necessário:

1 – Antes de terem as abelhas devem aprender, seja através de literatura, ou de um curso de iniciação à atividade.

Nessa altura fazem o vosso Reagisto Apícola, obtendo assim o vosso número de apicultor. (Isto pode ser feito junto das associações de apicultores). Ficarão logo a saber que é obrigatória a atualização do mesmo anualmente durante o mês de Setembro.

2 – Consigam o vosso local para instalarem as abelhas antes de as terem!, e é de bom tom perguntarem na aldeia se existem apicultores na zona, e se existirem vão falar com eles. Assim evitam colocar apiário junto a outro já existente e portanto evitam conflitos logo à partida. Além disto enturmam-se com a comunidade apícola local. Lembrem.se que têm pela lei de dar 800m de distância a apiários de 31 colmeias ou superior efetivo…mas que para vosso bem, diria que 1500m de distância vos salvaguarda bem mais de reinfestações por varroa e de produzirem algo que se veja sem estarem a comer o pasto uns dos outros. No meu caso istalo os meus apiários a cerca de 1200 – 1500m uns dos outros, garantindo assim que ninguém se pode pela lei colocar ao meio. É assim que funciono no meu “Centro”, onde tenho 7 e brevemente o 8º apiário que práticamente fecham 1a freguesia. Se não têm efetivo para isso, podem fazer o mesmo em grupo…com os apicultores da aldeia e partilhando apiários.

3 – Ao adquirirem ou capturarem as 1as abelhas, instalem-nas e não precisam de as abrir em intervalos inferiores a 3 semanas.

Cuidem muito bem da varroa (geralmente 3 tratamentos anuais são a norma), e será este o vosso maior desafio. É aqui que têm de aprender muito. Como aconselhamento, falem muito sobre isto com o técnico apícola da associação que vos seja mais próxima.

 

Básicamente, estes são os  passos para quem se inicia…

Não se esqueçam de manter o mato roçado e bem limpo junto às colmeias de Maio em Diante…pois a varroa ainda deixa as caixas, o fogo já não!

Publicado em Uncategorized | 2 Comentários

Outono…

Eis a côr mail linda do Outono

Exif_JPEG_420

Que saudades tinha!! E hoje recolhi 5 lindos alguidadares.

Afinal sem Oiro nem Parata não existiria Pirata…

De 2a em diante termina a colheita e o que houver será apenas e só para elas. Recolher sim…ser guloso já é proibido, visto que entrarem no Inverno sem reservas de Pão de Abelha…pode dar mau resultado.

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Abelhas Pelo Mundo – Reino da Dinamarca (capítulo 5-fim)

Este é o último artigo dedicado à viagem deste verão ao Reino da dinamarca.

Em resumo, quero deixar mais algumas imagens de núcleos e colmeias, mas sobretudo agradecer tudo aquilo que aprendi e a visão diferente com que regressei e que me permitiu incorporar uma série de coisas que servirão a minha apicultura a tornar-se melhor.

Exif_JPEG_420Exif_JPEG_420Exif_JPEG_420

 

Uma dessas coisas é a forma de produzir mel em forma cremosa e outra das coisas que ncorporo é a alimentação de xarope denso com preço muitíssimo mais acessível e que funciona muitíssimo melhor que aquilo que por cá adquirimos.

Brevemente no que a este assunto diz respeito, disponibilizarei também a outros apicultores por preços nunca antes por cá vistos.

A forma comunitária que usam para a compra de grandes quantidades de alimento ou a forma como realizam enormes quantidades de mais valias com a cera…é outra das coisas que poderemos incorporar no futuro.

Claro que nem tudo é por cá replicável…mas muito é

…e não aproveitar ensinamentos importantes seria no mínimo burrice!

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Que não se confirme!

No panorama Meteorológico a coisa está negra…

Ontem após procurar em diversos locais (métodostradicionais) qual a previsão de Longo Prazo para o 2018, eis que todos apontam uma única previsão…ser o Ano Mais Seco da história recente, com chuva decente apenas na primeira quinzena de Janeiro.

Sinceramente estou um bocado assustado…pois se em cima de um ano destes vem outro igual ou pior…o que sobrará?

Ontem também fui a Sul, onde a margoriça deveria começar a florir por estes dias. O que encontrei foi táguedas muito mal nutridas e a darem flores sob 29ºC, tal como no Agreste as colmeias têm aproximadamente o dobro das baixas do que seria suposto, os açudes estão secos ou com poças de lama apenas, as raínhas pensam que é hora de aumentar postura…mas não há néctar em nada. Deixei lá 20 Litros de xarope debaixo do Sobreiro Grande (para elas ao menos por umas horas se sentirem vivas) e meti 2/3 de Thymovar a cada uma.

Parece que a malta do Eucalipto vai voltar a ter um ano de glória…para todos os outros mais aflição!

Ao que escuto, das Caldas para cima choveu recentemente e há urze regada e Eucalipto a abrir. Na zona de Oleiros muita margoriça florida…mas seca. De resto é sofrimento!

Aqui no Agreste as abelhas crescem rápidamente neste momento com a tágueda. Domingo abro os Capta Pólen e deverá surgir em poucos dias uma Mega-Postura de Zangão. Terei de fazer desdobramentos 2as semanas mais tarde que o habitual, para que o zangão esteja maduro. Felizmente há algumas com algum zangão operculado…mas insuficiente para grandes lotes de raínhas.

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Como não sofrer??

Eis uma infografia que representa a nossa suposta Primavera…

temperatura

Quase todo o território a assar…durante 3 meses que deveriam alternar entre os chuviscos e temperatura moderada. +de 5ºC de temperatura máxima acima do que era suposto. Houve 2 períodos de 17ºC acima do normal.

O que fazer se isto for a norma daqui em diante? Emigrar para Norte?…ou viver e trabalhar sob condição desértica em meia dúzia de anos?

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Mel ..

Hoje venho publicitar de que tenho 2 pequenos lotes de mel para vender, que por serem demasiado pequenos para encher o tambor, prefiro não misturar e vender em separado, pois são lotes de muitíssima qualidade e mel de excelência nunca deve ser misturado.

Lote 1 – Cerca de 180Kg de mel de Rosmaninho da Zona do Couço

Lote 2 – Cerca de 45Kg de mel multiflora (urze, figos e melada), vindo do Parque Natural da Serra D’Aire e Candeeiros.

Aos interessados,

91 473 93 85 ou tedigoto@sapo.pt

Posso também vender já rotulado com a minha marca, no frasco de Kg ou 500gr

Exif_JPEG_420

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Côres de Outono…

Este ano a colheita de pólen será cerca de metade da do ano passado, e o principal motivo são os cerca de 2 meses extra que as abelhas passaram entre a abundância e a nova recuperação de Outono, e menor % de colmeias por apiário a levarem Capta Pólen.

Mesmo assim, esta semana os níveis de cria já são bons, e estamos a ver um crescendo que implica já a recolha a cada 48h do precioso oiro.

Exif_JPEG_420Exif_JPEG_420Exif_JPEG_420

Dentro de 1a semana já com os primeiros Zangãos a nascer e bastantes colmeias a produzirem-nos, começarei os desdobramentos de Outono. Infelizmente não terei o aumento de efetivo que desejava, pois há primeiro perdas a serem recuperadas. Por outro lado é com felicidade que as vejo recuperadas, as varroa novamente em nível baixo e a baixar ainda mais com o aumento de cria que a dilui bastante.

Há zonas perto de Lisboa com 50% de perdas de verão, A zona de Alverca está igual…com apicultores aflitos, independentemente de terem tratado com fórmico, amitraz, timol…ou qualquer outra coisa. O nível de colapsos dos enxames silvestre ronda os 90% ou mais, e as causas são ainda o passado Inverno cheio de Zangão, seguido de uma Primavera que durou 1a semana e não permitiu enxameação. Daí as reinfestações enormes…pois cada enxame colapsado equivale a centenas de varroas a entrarem no apiário do lado.

Eu safo-me melhor, com bastante menos perdas, mas mesmo assim a serem aproximadamente o dobro daquilo que desejava.

Vamos à reta final do pólen de Outono…

 

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Game Over!

Today I’ll address to everyone in English, as the followers from far countries also deserve our respect.

Our bees are struggling to start Autumn in shape, with varroa counts getting lower, but re-invasion being the biggest problem with apiaries getting repeated treatmens to avoid being crashed by varroa’s coming from nearby apiaries.

Still no sign from rain, and the blue sky isn’t going anywhere soon.

Exif_JPEG_420

Dust…Dust…and even the kiwi’s struggle.

Exif_JPEG_420

We are now since 26th of March without any serious rain. Since that date we have had only a few showers in May and a light smell to wet dirt on the last day of August…lasted only 2 days moist under 32ºC.

How I miss rain!!

My deep respect to Districia Viscosa…our salvation! Tomorrow I’ll post some pictures of the pollen traps.

 

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário